Autor: bauhausdesignbr

100 anos da Escola Bauhaus

100 anos da Escola Bauhaus

A Escola Bauhaus chegou ao seu centenário e essa data não poderia passar em branco. Isso porque durante todo esse período, a Escola Bauhaus marcou a arquitetura com importantes influências, entrando para a história como a precursora do movimento modernista.

Criada em 1919 pelo arquiteto Walter Gropius, na Alemanha, a Staatliches Bauhaus, mais conhecido apenas como Bauhaus, não é apenas um movimento, mas uma escola de verdade mesmo.

Atualmente a Universidade Bauhaus é localizada em Weimar, sendo considerada uma das melhores universidades da Alemanha. Desde 1996, os prédios da Bauhaus em Weimar e Dessau são Patrimônio Mundial da Humanidade.

Trata-se de um instituto de design responsável pela base em estética que continua a influenciar a forma como nosso mundo se parece e funciona.

Bauhaus era formada por profissionais de diferentes áreas. Faziam parte da equipe da Escola desde designers e arquitetos como também engenheiros, pintores e artistas industriais. Cada um representava as tendências inovadoras de cada setor.

Influência permanente

A Escola Bauhaus tinha como objetivo se tornar uma combinação de arquitetura, artes e design. Walter Gropius acreditava e defendia que o bom design que poderia ser produzido em massa e disponibilizado para o público em geral.

A ideia inicial de Gropius era formar novas gerações de artistas, sem haver distinções de classe e hierarquia. E conseguiu: até hoje é uma importante referência para arquitetos e designers de interiores em todo o mundo.

Em 1933 a escola foi fechada, devido à pressão política da Alemanha, porém sua influência não foi detida. A pequena escola alemã continuou a influenciar desginers e arquitetos ao longo dos anos.

Dieter Rams, abraçou nos anos 1960 muitos dos mesmos princípios e ideais encontrados no design da Bauhaus. Florence Knoll foi outro designer responsável por alavancar os conceitos da escola.

Criou algumas das maiores e mais respeitadas mobílias que já existiram, incluindo seu toque americano ao design alemão característico da Bauhaus. Outra conhecida e importante marca que se inspira nas inovações vindas da Bauhaus é a Apple.

Grandes nomes da Escola Bauhaus 

A Bauhaus sempre contou com excelentes artistas e profissionais qualificados, alguns deles fizeram diferença e se tornaram ícones do século XX.

Entre os arquitetos da Bauhaus, destaque para Walter Gropius e Mies van der Rohe. Veja outros nomes importantes da escola Bauhaus:

  • Gerhard Marks | Escultor alemão (1889-1981);
  • Johannes Itten | Pintor e escritor suiço (1888-1967);
  • Josef Albers | Designer alemão (1888-1976);
  • Laszlo Moholy-Nagy | Design e pintor húngaro (1895-1946);
  • Marcel Breuer | Designer e arquiteto húngaro (1902-1981);
  • Oskar Schlemmer | Pintor alemão (1888-1943);
  • Paul Klee | Pintor e poeta suíço  (1879-1940);
  • Wassily Kandinsky | Artista plástico russo (1866-1944).

Entre as principais características da escola Bauhaus estão:

  • Utilização de materiais como aço, vidro e madeira;
  • Junção do artesanato e da arte;
  • Arquitetura integrada ao urbanismo;
  • Funcionalidade dos produtos;
  • Influência do construtivismo.

Móveis famosos da Bauhaus

Com design futurista e funcional a Bauhaus segue influenciando o design e a arquitetura moderna. Algumas características da escola são facilmente encontrada em diversas peças do mobiliário atual: materiais diferenciados, focado em formas geométricas limpas, composição visual equilibrada e abordagem científica para o design são algumas desses atributos.

Veja alguns móveis famosos da Bauhaus

Jogo de xadrez Bauhaus

xadrez-bauhaus

Criado em 1922 por Josef Hartwig, a melhor parte das peças desse jogo de xadrez é que o design de cada uma indica o movimento que elas são capazes de fazer.

Berço Bauhaus

berco-bauhaus

O berço da Bauhaus surgiu nos primeiros dias da escola de design alemã, mas a simplicidade desse porta-revistas, tanto no formato quanto nas cores usadas, não afasta a diversão intrínseca do design.

Cadeira Presidente Bauhaus

cadeira-presidente-bauhaus

De todas as cadeiras vindas da Bauhaus, esta é a que mais comumente vem à mente. Criada por Marcel Breuer, a cadeira presidente é uma mistura de aço e couro, usando nenhum material a mais do que o necessário, enquanto que provê conforto máximo. É um design que você ainda encontra nas casas hoje em dia.

Abajur Bauhaus

abajour-bauhaus

Provavelmente a peça de luz mais icônica saída da Bauhaus, o abajur de William Wagenfeld, construída de metal e vidro precisamente cortado, está entre os objetos que emergiram durante o regime focado em tecnologia da Bauhaus.

Cadeira Barcelona

cadeira-barcelona-bauhaus

Criada em 1929 pelo futuro líder da Bauhaus Ludwig Mies van der Rohe em parceria com Lily Reich, as gentis linhas da cadeira Barcelona serviram como precursoras do que seria o movimento de mobília moderna da metade do século.

Maçaneta Bauhaus

macaneta-bauhaus

Sem dúvida a peça mais famosa desenhada por Walter Gropius, as formas geométricas e industriais, como os seus parafusos expostos, das maçanetas Bauhaus floresceram e deram o tom sobre o que a estética da Bauhaus era. O DNA de design encontrado nessa maçaneta permanece vivo em objetos contemporâneos, como o iPhone.

Comemorando o centenário

A Bauhaus, nos seus 14 anos de existência, reinventou a arquitetura e o designer espalhando suas ideias modernas com funcionalidade e beleza descomplicada.

Agora, 100 anos depois, a Alemanha se organiza para comemorar o centenário da escola. As três principais cidades onde a escola funcionou – Weimar, Dessau e Berlim estarão no centro das comemorações que incluirão uma série de festivais, exposições e inauguração de um novo museu.

Mas o centenário expande os feitos da Bauhaus por todo mundo, dando aos interessados, a oportunidade de conhecer um pouco mais dessa importante escola.

Dicas para conservar o revestimento de couro de sofás e poltronas

Dicas para conservar o revestimento de couro de sofás e poltronas

Sofás e poltronas em couro são atemporais e conferem estilo

Os móveis em couro nunca saem de moda. São muito versáteis e dão um toque de sofisticação a qualquer ambiente.

Além da grande possibilidade de combinações, eles conferem muito estilo e podem ser usados tanto na decoração tradicional quanto na mais moderna.

O couro, quando bem conservado tem grande durabilidade e pode ser mantido com aparência de novo por muito tempo.

Atente aos tipos de couro

Existem muitos tipos de couro que são usados em móveis, principalmente em estofados e poltronas. O couro pode ser classificado em sintético, ecológico e legítimo.

  • Couro sintético: é feito de compostos químicos como Poliuretano que lembram superfícies de vinil e resinas. São mais resistentes à manchas do que os couros de fibras naturais e por isso mesmo, mais fáceis de limpar.
  • Couro Ecológico: é produzido a partir da seringueira, sendo mais sustentável.
  • Couro legítimo: feito a partir de peles de animais, sendo o mais comum o couro de boi. O couro bovino pode receber vários acabamentos como cores diferentes e até mesmo impressão de estampas imitando padrão da pele de cobras ou crocodilos, por exemplo.

No geral os tipos de couro legítimo são divididos em anilinados, pigmentados (ou lisos) ou sintéticos.

  • Couros anilinados: entre esse tipo estão a camurça, o nobuque e o couro cru. O principal atributo dos anilinados é a maciez aveludada. Esses couros requerem um cuidado extra, já que são mais absorventes e podem manchar mais facilmente.

Seu tingimento é feito com tintas solúveis e álcool por isso a limpeza deve ser feita com muita atenção, já que a textura e a cor podem ser prejudicadas.

  • Couros Pigmentados: também chamados de lisos são de mais fácil manutenção por terem baixa absorção. Por outro lado, os pigmentados são mais sensíveis à riscos, então todo cuidado é pouco. A limpeza também é feita de forma mais simples, mas não dispensa cuidados.

Aprenda a conservar o seu sofá de couro

Quem tem ou pretende ter um sofá de couro deve saber que esse revestimento demanda cuidados e produtos especiais, que vão auxiliar na sua preservação e durabilidade.

Além de limpar constantemente seu sofá de couro com um pano úmido para tirar a poeira, é importante mantê-lo hidratado. Isso mantém o material macio e brilhante.

A hidratação frequente evita que o couro crie rachaduras, desbote, resseque ou descame.

Existem hidratantes, ceras e graxas incolores próprias para móveis de couro e também empresas especializadas nesse tipo de manutenção e limpeza. Outra maneira de conservar bem o seu sofá é protegendo-o do sol.

Cuidados básicos como evitar consumir alimentos no sofá e o manuseio de objetos que possam riscar ou arranhar o couro também devem ser redobrados.

E se o sofá de couro manchar, o que fazer?

Mesmo sendo um material resistente, o couro também está sujeito às eventuais manchas de produtos que podem ser difíceis de remover. Mas, a boa notícia é que dá pra tirar a maior parte das manchas.

Veja quais são as manchas mais comuns:

  • Gordura;
  • Suco, vinho ou outra bebida;
  • Suor;
  • Tinta de caneta;
  • Tinta de cabelo;

Independente da mancha, a recomendação básica que vale para qualquer tipo de couro é não esfregar demais. Não use produtos químicos sem conhecimento e, no caso de querer usar alguma receita caseira, teste antes em uma parte escondida do seu estofado.

A melhor maneira de evitar transtornos é agindo preventivamente, mas em caso de acidentes com o seu sofá, procure uma empresa especializada em limpeza.

 

Eero Saarinen: talento traduzido em estilo e design

Eero Saarinen é um finlandês de talento nato. Nasceu em 1910 e com apenas 12 anos, o filho do famoso arquiteto Eliel Saarinen, ganhou destaque no mundo das artes. Ele venceu um concurso de design em sua cidade, o que mostrou sua sensibilidade artística e talento natural para o design.

eero-saarinen-designer-bauhaus.jpg

Em 1923 mudou-se para os EUA, onde, anos mais tarde foi naturalizado. Foi também nos Estados Unidos, em 1934 que Eero Saarinen se formou em arquitetura. Antes disso, estudou escultura em Paris.

eero-saarinen-designer-bauhaus-colecao-womb.jpg

Toque de modernidade

Visionário e sempre à frente de seu tempo, Saarinen iniciou em 1937 uma sociedade com o designer Charles Eames. Juntos eles desenvolveram uma série de móveis bastante vanguardistas e premiados várias vezes no MOMA – Museum of Modern Art.

eero-saarinen-base-cadeira-tulipa.jpg

Como Arquiteto, Eero Saarinen ficou mundialmente reconhecido como modernista. Depois de vencer em 1947, um concurso de arquitetura para o “Jefferson National Expansion Memorial” em St. Louis, suas obras começaram a ganhar relevância.

Design contemporâneo

Uma de suas grandes contribuições para o design contemporâneo foi inserir em suas obras arquitetônicas, formas curvas e orgânicas. Seu estilo arrojado e inovador fez muito sucesso quando desenhou para a Knoll International, desenvolvendo várias peças de mobiliário.

Entre os destaques estão a coleção Womb (1947-1948) que inclui cadeiras projetadas para trazer conforto, aconchego e sensação de proteção.

cadeira-womb-eero-saarinen.jpg

Também a coleção Pedestal (1955-1956), que inclui a famosa cadeira Tulipa, considerada um clássico do design industrial. Atualmente conhecida por seu sobrenome “Saarinen”.

colecao-moveis-saarinen-bauhaus.jpg

Em 1951, ele ainda projetou o “Saarinen Collection” para Knoll, consistindo de várias cadeiras de escritório, uma das primeiras linhas de mobiliário de escritório de designer. 

Conheça um pouco mais da coleção Saarinen e seu design moderno e arrojado, clicando aqui.

Imagens: Knoll, Verazo, Chaplins

Sua casa no clima do Natal

O mês de dezembro é marcado pelas festas de fim de ano. O Natal é uma festa geralmente comemorada em casa, com familiares, amigos e pessoas queridas. Por isso, merece uma atenção especial quando o assunto é decoração.

Para deixar a sua comemoração ainda mais mágica e inesquecível, você pode se inspirar nessas dicas, para montar uma mesa bonita, deixar sua sala temática e criar um ambiente natalino ainda mais gostoso.

Tradicional ou moderno: se você tem um estilo mais tradicional, poderá combinar cores verde e vermelho, que são típicas dessa época de Natal. Pinhas, sinos, laços, bolas de natal são alguns símbolos que ficam lindos quando combinados entre si. Clássicas, essas cores nunca saem de moda e dão um toque de elegância quando bem compostas.

 

inpiracao-decoracao-natal-02-min.jpg

Para os mais modernos, o dourado e o prata estão entre os preferidos. Embora sejam mais comuns no Ano Novo, o brilho desses tons deixam o clima mais iluminado. Demonstra bom gosto e requinte.

inpiracao-decoracao-natal-01-min.jpg

Mesa: é em volta da mesa que todos se reúnem para a ceia de Natal. E nada como uma mesa bem composta. Por isso, apostar em uma decoração especial é uma ótima pedida.

inspiracao-mesa-ceia-natal-decorada-04.jpg

Você pode optar por louças com cores que representam essa época, como o verde, o vermelho, amarelo e dourado. Objetos decorativos temáticos também ficam ótimos quando combinados com outros itens.

inspiracao-mesa-ceia-natal-decorada-02.jpg

Ideias simples que podem ser feitas em casa também dão um charme a mais: além de mostrar criatividade, como por exemplo, colocar velas dentro de copos ou taças ou usar luzes pisca-pisca dentro de garrafas de vidro, dobrar os guardanapos de uma maneira diferente.

inspiracao-mesa-ceia-natal-decorada-05.jpg

As velas caem sempre bem, além de deixar o ambiente mais intimista. Tanto na mesa como em outros móveis, elas podem ser decoradas, aromáticas, coloridas…dá para usar e abusar.

Sala: esse geralmente é o ambiente mais decorado da casa, por ser um local de reunião coletiva, ambiente no qual se recebe as pessoas. A Árvore de Natal, seja ela grande ou pequena, não pode faltar na sua decoração. A diversidade de cores e tipos de enfeites e luzes dão personalidade e podem variar conforme o estilo da casa.

decoracao-sala-estar-natal.jpg

Customize: que tal aproveitar aquele móvel ou objeto que você tem e adora, para customizar e deixar ele no clima do Natal? Um simples laço nas cores escolhidas para a decoração já faz toda a diferença. Vale ousar!

Você pode ainda optar por uma decoração temática, utilizando os símbolos tradicionais do Natal, ou as histórias associadas à data, como por exemplo a tradicional história do Quebra Nozes.

Mas, se você prefere ousar, pode também usar a temática do Natal com outras configurações e cores, num estilo mais inovador, mixando ideias dando um toque de modernidade à decoração.

Aproveite o clima e faça uma decoração natalina que valorize ainda mais seus móveis e sua casa.

Imagens: TLC interiors, Fresh Home, Amara e Pressloft.

Da Alemanha para o mundo: conheça Vladimir Kagan, designer e vanguardista europeu

Da Alemanha para o mundo
Conheça Vladimir Kagan, designer e vanguardista europeu

vladimir-Kagan-Identity


Nascido em 1927, filho de marceneiro, Vladimir Kagan é um dos designers mais célebres no que se refere a mobiliário moderno. Com uma carreira que durou mais de sessenta anos, fugiu da Alemanha para os Estados Unidos em 1938 juntamente com sua família, e foi na América que se consolidou como artista.

vladimir-Kagan-002.jpg

Tendo como foco inicial a pintura e escultura, foi na arquitetura e no design que encontrou sua verdadeira paixão. Ele começou a projetar em 1946, e no início dos anos 50 seus designs esculturais e inovadores criaram um novo visual nos móveis americanos. Hoje, suas criações são consideradas de vanguarda.

vladimir-kagan-02.jpg

Os móveis de Kagan estão em coleções particulares no mundo todo. Seus projetos premiados foram publicados em livros e revistas internacionais e compõem coleções permanentes do Victoria & Albert Museum, em Londres, do Vitra Design Museum e do Die Neue Sammlung na Alemanha, bem como nos museus mais importantes dos Estados Unidos.

kaganobit5-jumbo.jpg


Kagan defendia o termo “elegância com tranquilidade” e não trocava o conforto pela elegância. A maioria de seus projetos apresentam curvas suaves com estofados.

 poltronas-vladimir-kagan-bauhaus.jpg
O New York Times confirma: “Vladimir Kagan é um dos mais importantes designers de móveis do século 20. Móveis projetados por ele nos anos quarenta, cinquenta e sessenta tornaram-se ícones da modernidade e uma referência obrigatória para todos os designers. Ele é o avô de toda uma nova geração de designers “.

Compre online os móveis clássicos desse artista. 


Fontes: New York Times, Westwing.
Fotos: New York Social Diary, MCM Daily, Get Images, Thirst , Retrorenovation, Jeff Hirsch Books

Conheça o significado das siglas das cadeiras Charles & Ray Eames

Conheça o significado das siglas das cadeiras Charles & Ray Eames

As siglas das cadeiras representam características das peças

O casal de designers norte-americanos Charles & Ray Eames são conhecidos mundialmente por seus projetos inovadores e funcionais (nós já contamos um pouco da história do casal aqui). Mesmo décadas após sua criação, os itens continuam atuais e são peças-chave para a decoração de ambientes modernos.

Quem conhece o mobiliário desenvolvido pelo casal, já deve ter notado que a maioria de suas cadeiras possuem siglas em seu nome. Mas o que significam as siglas das cadeiras? Cada uma é composta por três letras e cada uma delas com um significado diferente e a Bauhaus Design vai explicar para você, confira:

Primeira letra

A primeira letra das siglas das cadeiras significa a altura das peças, para indicar para qual funcionalidade ela se aplica melhor. Entre elas, existem duas possibilidades: a letra “L” — que significa “Lounge” — ideal para um local de descanso ou descontração; e a letra “D” — que significa “Dining” — ideal para uso em salas e mesas de jantar.

Segunda letra

A segunda letra das siglas das cadeiras é referente ao formato da peça, indicando se é uma cadeira, poltrona, se tem braços ou não. Nessa parte existem três possibilidades: a letra “K” — abreviação de “Kirschner-wire” — indicando que a cadeira possui encostos e assentos aramados; a letra “S” — abreviação de “Side” — indicando que a cadeira serve de apoio ou complemento para um ambiente e a letra “A” — abreviação de “Armchair” — indicando que a cadeira possui braços, ou seja, é considerada uma poltrona.

Terceira letra

A terceira e última letra define o formato e material dos pés da cadeira. Entre as possibilidades estão: “W” de “Wood”, indicando pés feitos em madeira; a letra “X” aponta que os pés são em formato cruzado — sem a icônica Torre Eiffel; e o “R” de “R-wire” que faz referência ao arame, caracterizando os pés de balanço.

Gostou? Aproveite o Especial Charles & Ray Eames e garanta sua cadeira com 20% off no boleto e frete grátis para Sul e Sudeste aqui.

Fonte: Larissa Ribeiro, Monta Casa

Conheça a história de Marco Zanuso, criador da Maggiolina

Conheça a história de Marco Zanuso, criador da Maggiolina

A carreira do designer recebeu destaque nas pesquisas e experiências com metal curvado e plástico polido

CMarco Zanusoom uma carreira trilhada por pesquisas e experiências com metal curvado em mobiliários luxuosos e projetos industrializados de plásticos polidos, o arquiteto e designer italiano Marco Zanuso foi (e ainda é) considerado um mestre na história do design — fazendo parte do grupo de Milão que deu forma à ideia internacional do “projeto bom” no período pós-guerra.

Zanuso estudou arquitetura no Instituto Politécnico de Milão e abriu seu próprio escritório em 1945. Em 1947, criou um dos seus maiores ícones: a Poltrona Maggiolina, que contém linhas inesperadas, traduzidas em um mobiliário contemporâneo e irreverente — podendo ser considerada moderna até nos dias de hoje.

Convidado pela Arflex, divisão da Pirelli criada para projetar assentos com estofamento de espuma de borracha, Zanuso criou a cadeira “Lady” (1951) — outro grande hit de sua carreira, que ganhou o primeiro prêmio na Trienal de Milão. Na época, o designer elogiou o novo material: “Poderíamos revolucionar não apenas o sistema de estofamento, mas também a fabricação estrutural e o potencial da forma (…) nossos protótipos adquiriram visuais excitantes e novos contornos, com padrões industriais antes inimagináveis”.

Outros projetos

O designer também fez diversos projetos de rádios e televisões que se tornaram referências à época, fazendo parte de uma concepção estética denominada “techno-funcionalismo”. Junto com seu parceiro alemão Richard Sapper, criou a primeira televisão totalmente transistorizada, “Doney 14” (1962). O item foi reconhecido por ser arredondado, compacto e portátil. Além disso, dentro da linguagem do minimalismo escultural, em 1966, a dupla projetou para a Siemens o “Grillo”, telefone dobrável que já continha os botões e o fone de ouvido na mesma unidade.

Princípios

O trabalho de Zanuso tinha como característica principal a elegância e a inventividade. Percorrendo um amplo espectro que passou de experimentos em metal dobrado até móveis elegantes em plástico, a grande premissa do designer era pensar no uso e na acessibilidade do mercado de cada material com o qual trabalhou.

Compre produtos inspirados na obra de Marcos Zanuso aqui.

A história por trás do design de Charles e Ray Eames

A história por trás do design de Charles e Ray Eames

Conhecidos pelos móveis que desenharam, existem diversas curiosidades sobre o casal

Com certeza você já viu algum móvel desenhado por Charles e Ray Eames, seja aqui na Bauhaus ou em algum ambiente (quem sabe até em sua casa, não é mesmo?). O casal norte-americano desenvolveu, entre as décadas de 1940 e 1970, peças modernistas que seguem atuais até os dias de hoje, resultando em um mundo mais prático, organizado e, é claro, mais bonito. Além dos móveis, Charles e Ray também contribuíram para a arquitetura, design gráfico e industrial, belas artes e cinema.

Uma das premissas de Charles era ter “pessoas trabalhando em coisas inúteis”, pois, dessa forma, era possível encontrar novos conceitos e criar uma equipe encorajada a fazer experimentos. O Studio Eames fez uso de vários materiais inovadores, trazendo a madeira compensada, a malha de metal, resina plástica e fibra de vidro para o design mobiliário. A dupla se tornou mundialmente conhecida e transferiu a sua parceria para curtas-metragens e exposições de arte desenhadas por eles.

Reconhecendo um móvel Charles e Ray Eames

Entusiasmo sem limites, linhas finas e elegantes, formas funcionais e modernas, traços sutis e sofisticação: todos esses detalhes definem as obras de Charles e Ray Eames. Cada projeto era desenvolvido de maneira natural e similar, questionando se aquela obra era intrigante e, principalmente, se seria possível se divertir ao longo do processo criativo e de montagem.

A primeira peça de design que fez sucesso foi a Lounge Chair, poltrona conhecida mundialmente por suas formas contemporâneas, extremo conforto e elegância criada pela combinação de madeira compensada e couro macio. Outros móveis ao longo do tempo se tornaram hits, como a cadeira DKR – com nome composto apenas por siglas, que contam detalhes sobre a construção do próprio móvel.

Ficou curioso? No próximo post contaremos o que cada uma dessas siglas significa. Enquanto isso, confira os móveis inspirados na obra do casal aqui.

Fonte: Westwing, História das Cadeiras.

Minha sala nova: 3 ideias para renovar sua casa

Nova campanha da Bauhaus Design traz o melhor do design para o cômodo prioritário da casa

O cômodo favorito do brasileiro pode ser o quarto mas, na hora de decorar, a prioridade acaba sendo a sala — por ser o local no qual geralmente são recebidos os amigos e as visitas. É claro que cada um tem uma concepção diferente da sala dos sonhos, mas a Bauhaus Design trabalha com móveis que contemplam dos gostos mais modernos até os mais clássicos.

Confira algumas ideias que separamos para você aproveitar o frete grátis*:

1- Minimalista

Para quem gosta de espaços amplos, com cores claras e poucos objetos, a cadeira DKR Wood , de Charles Eames, é um bom complemento para a sala – adicionando ainda mais leveza e design ao ambiente.

Minha sala nova

2- Clássico

Para os clássicos de plantão, o conjunto Charles Eames confere a elegância necessária à qualquer ambiente!

Minha sala nova

3- Moderno

Gosta de cores e ambientes que exalam personalidade? A cadeira Panton pode ser o item que falta para deixar a decoração da sua sala incrível.

Minha sala nova

Confira mais peças de alta qualidade e fidelidade em nossa loja!

*Frete grátis válido somente para entregas no Sul e Sudeste.

Você sabe quem foi Charles-Édouard Jeanneret-Gris?

Você sabe quem foi Charles-Édouard Jeanneret-Gris?

Considerado a figura mais importante da arquitetura moderna, o arquiteto e designer é conhecido por seu pseudônimo

Le Corbusier
Le Corbusier (1887-1965)

Passeando por nossa loja online, é possível encontrar alguns móveis inspirados na obra de Charles-Édouard Jeanneret-Gris. Entre eles as poltronas e sofás Grand Confort, também chamados de LC2 e LC3. Mas, de onde vem o LC? Se pensou Le Corbusier, acertou!

Mais conhecido por seu pseudônimo, como apresentado acima, Le Corbusier foi um arquiteto, designer, pintor, urbanista escritor e um dos pioneiros da arquitetura moderna. Nascido na Suíça em 1887, ele se tornou cidadão francês em 1930 e espalhou grandes obras por todo o mundo.

O começo

Desde os 13 anos, Corbusier estava ligado à arte, mas foi a partir de 1917, quando se instalou em Paris, depois de ter  participado como professor de uma escola criada nos moldes da Bauhaus, projetando casas para industriais da Suíça, que começou a adotar o novo nome e concretizá-lo na história da arquitetura moderna.

Objetivos

Uma de suas principais preocupações foi a necessidade de uma nova planificação urbana nas cidades, mais adequada à vida moderna. Suas ideias foram bastante difundidas ao longo do século 20.

Le Corbusier foi autor do Plano Obus, para reurbanizar Argel, capital da Argélia, e do planejamento urbano de Chandigarh, cidade indiana construída para ser capital do Punjab. Em 1947 trabalhou em conjunto de Oscar Niemeyer na construção do prédio da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque.

Mobília

Em parceria com seu primo Pierre Jeanneret e Charlotte Periand, em 1928, Le Corbusier desenvolveu uma linha de móveis que sintetizava o estilo Internacional: os sofás e poltronas LC2. Nesta mesma época, ele também fez a criação do sofá e poltrona LC3.

A linha é chamada de “grand confort” e de “cushion baskets”, em tradução livre “cestos de almofada”, pelo fato da estrutura ser externa e segurar as almofadas do sofá. O design simplista das peças, com linhas limpas e bastante conforto, fazem com que os móveis sejam bastante utilizadas por designers de interiores em todo mundo.

A linha LC2, por ser mais estreita, é comumente aplicada em recepções e salas de espera. Já a LC3, mais robusta, é ideal para salas de estar.

Gostou? Conheça os móveis inspirados na obra de Le Corbusier na Bauhaus Design.

Fonte: ArchDaily, Clique Arquitetura, Galeria da Arquitetura, Educação UOL