Da Alemanha para o mundo: conheça Vladimir Kagan, designer e vanguardista europeu

Da Alemanha para o mundo
Conheça Vladimir Kagan, designer e vanguardista europeu

vladimir-Kagan-Identity


Nascido em 1927, filho de marceneiro, Vladimir Kagan é um dos designers mais célebres no que se refere a mobiliário moderno. Com uma carreira que durou mais de sessenta anos, fugiu da Alemanha para os Estados Unidos em 1938 juntamente com sua família, e foi na América que se consolidou como artista.

vladimir-Kagan-002.jpg

Tendo como foco inicial a pintura e escultura, foi na arquitetura e no design que encontrou sua verdadeira paixão. Ele começou a projetar em 1946, e no início dos anos 50 seus designs esculturais e inovadores criaram um novo visual nos móveis americanos. Hoje, suas criações são consideradas de vanguarda.

vladimir-kagan-02.jpg

Os móveis de Kagan estão em coleções particulares no mundo todo. Seus projetos premiados foram publicados em livros e revistas internacionais e compõem coleções permanentes do Victoria & Albert Museum, em Londres, do Vitra Design Museum e do Die Neue Sammlung na Alemanha, bem como nos museus mais importantes dos Estados Unidos.

kaganobit5-jumbo.jpg


Kagan defendia o termo “elegância com tranquilidade” e não trocava o conforto pela elegância. A maioria de seus projetos apresentam curvas suaves com estofados.

 poltronas-vladimir-kagan-bauhaus.jpg
O New York Times confirma: “Vladimir Kagan é um dos mais importantes designers de móveis do século 20. Móveis projetados por ele nos anos quarenta, cinquenta e sessenta tornaram-se ícones da modernidade e uma referência obrigatória para todos os designers. Ele é o avô de toda uma nova geração de designers “.

Compre online os móveis clássicos desse artista. 


Fontes: New York Times, Westwing.
Fotos: New York Social Diary, MCM Daily, Get Images, Thirst , Retrorenovation, Jeff Hirsch Books

Conheça o significado das siglas das cadeiras Charles & Ray Eames

Conheça o significado das siglas das cadeiras Charles & Ray Eames

As siglas das cadeiras representam características das peças

O casal de designers norte-americanos Charles & Ray Eames são conhecidos mundialmente por seus projetos inovadores e funcionais (nós já contamos um pouco da história do casal aqui). Mesmo décadas após sua criação, os itens continuam atuais e são peças-chave para a decoração de ambientes modernos.

Quem conhece o mobiliário desenvolvido pelo casal, já deve ter notado que a maioria de suas cadeiras possuem siglas em seu nome. Mas o que significam as siglas das cadeiras? Cada uma é composta por três letras e cada uma delas com um significado diferente e a Bauhaus Design vai explicar para você, confira:

Primeira letra

A primeira letra das siglas das cadeiras significa a altura das peças, para indicar para qual funcionalidade ela se aplica melhor. Entre elas, existem duas possibilidades: a letra “L” — que significa “Lounge” — ideal para um local de descanso ou descontração; e a letra “D” — que significa “Dining” — ideal para uso em salas e mesas de jantar.

Segunda letra

A segunda letra das siglas das cadeiras é referente ao formato da peça, indicando se é uma cadeira, poltrona, se tem braços ou não. Nessa parte existem três possibilidades: a letra “K” — abreviação de “Kirschner-wire” — indicando que a cadeira possui encostos e assentos aramados; a letra “S” — abreviação de “Side” — indicando que a cadeira serve de apoio ou complemento para um ambiente e a letra “A” — abreviação de “Armchair” — indicando que a cadeira possui braços, ou seja, é considerada uma poltrona.

Terceira letra

A terceira e última letra define o formato e material dos pés da cadeira. Entre as possibilidades estão: “W” de “Wood”, indicando pés feitos em madeira; a letra “X” aponta que os pés são em formato cruzado — sem a icônica Torre Eiffel; e o “R” de “R-wire” que faz referência ao arame, caracterizando os pés de balanço.

Gostou? Aproveite o Especial Charles & Ray Eames e garanta sua cadeira com 20% off no boleto e frete grátis para Sul e Sudeste aqui.

Fonte: Larissa Ribeiro, Monta Casa

Conheça a história de Marco Zanuso, criador da Maggiolina

Conheça a história de Marco Zanuso, criador da Maggiolina

A carreira do designer recebeu destaque nas pesquisas e experiências com metal curvado e plástico polido

CMarco Zanusoom uma carreira trilhada por pesquisas e experiências com metal curvado em mobiliários luxuosos e projetos industrializados de plásticos polidos, o arquiteto e designer italiano Marco Zanuso foi (e ainda é) considerado um mestre na história do design — fazendo parte do grupo de Milão que deu forma à ideia internacional do “projeto bom” no período pós-guerra.

Zanuso estudou arquitetura no Instituto Politécnico de Milão e abriu seu próprio escritório em 1945. Em 1947, criou um dos seus maiores ícones: a Poltrona Maggiolina, que contém linhas inesperadas, traduzidas em um mobiliário contemporâneo e irreverente — podendo ser considerada moderna até nos dias de hoje.

Convidado pela Arflex, divisão da Pirelli criada para projetar assentos com estofamento de espuma de borracha, Zanuso criou a cadeira “Lady” (1951) — outro grande hit de sua carreira, que ganhou o primeiro prêmio na Trienal de Milão. Na época, o designer elogiou o novo material: “Poderíamos revolucionar não apenas o sistema de estofamento, mas também a fabricação estrutural e o potencial da forma (…) nossos protótipos adquiriram visuais excitantes e novos contornos, com padrões industriais antes inimagináveis”.

Outros projetos

O designer também fez diversos projetos de rádios e televisões que se tornaram referências à época, fazendo parte de uma concepção estética denominada “techno-funcionalismo”. Junto com seu parceiro alemão Richard Sapper, criou a primeira televisão totalmente transistorizada, “Doney 14” (1962). O item foi reconhecido por ser arredondado, compacto e portátil. Além disso, dentro da linguagem do minimalismo escultural, em 1966, a dupla projetou para a Siemens o “Grillo”, telefone dobrável que já continha os botões e o fone de ouvido na mesma unidade.

Princípios

O trabalho de Zanuso tinha como característica principal a elegância e a inventividade. Percorrendo um amplo espectro que passou de experimentos em metal dobrado até móveis elegantes em plástico, a grande premissa do designer era pensar no uso e na acessibilidade do mercado de cada material com o qual trabalhou.

Compre produtos inspirados na obra de Marcos Zanuso aqui.

A história por trás do design de Charles e Ray Eames

A história por trás do design de Charles e Ray Eames

Conhecidos pelos móveis que desenharam, existem diversas curiosidades sobre o casal

Com certeza você já viu algum móvel desenhado por Charles e Ray Eames, seja aqui na Bauhaus ou em algum ambiente (quem sabe até em sua casa, não é mesmo?). O casal norte-americano desenvolveu, entre as décadas de 1940 e 1970, peças modernistas que seguem atuais até os dias de hoje, resultando em um mundo mais prático, organizado e, é claro, mais bonito. Além dos móveis, Charles e Ray também contribuíram para a arquitetura, design gráfico e industrial, belas artes e cinema.

Uma das premissas de Charles era ter “pessoas trabalhando em coisas inúteis”, pois, dessa forma, era possível encontrar novos conceitos e criar uma equipe encorajada a fazer experimentos. O Studio Eames fez uso de vários materiais inovadores, trazendo a madeira compensada, a malha de metal, resina plástica e fibra de vidro para o design mobiliário. A dupla se tornou mundialmente conhecida e transferiu a sua parceria para curtas-metragens e exposições de arte desenhadas por eles.

Reconhecendo um móvel Charles e Ray Eames

Entusiasmo sem limites, linhas finas e elegantes, formas funcionais e modernas, traços sutis e sofisticação: todos esses detalhes definem as obras de Charles e Ray Eames. Cada projeto era desenvolvido de maneira natural e similar, questionando se aquela obra era intrigante e, principalmente, se seria possível se divertir ao longo do processo criativo e de montagem.

A primeira peça de design que fez sucesso foi a Lounge Chair, poltrona conhecida mundialmente por suas formas contemporâneas, extremo conforto e elegância criada pela combinação de madeira compensada e couro macio. Outros móveis ao longo do tempo se tornaram hits, como a cadeira DKR – com nome composto apenas por siglas, que contam detalhes sobre a construção do próprio móvel.

Ficou curioso? No próximo post contaremos o que cada uma dessas siglas significa. Enquanto isso, confira os móveis inspirados na obra do casal aqui.

Fonte: Westwing, História das Cadeiras.

Minha sala nova: 3 ideias para renovar sua casa

Nova campanha da Bauhaus Design traz o melhor do design para o cômodo prioritário da casa

O cômodo favorito do brasileiro pode ser o quarto mas, na hora de decorar, a prioridade acaba sendo a sala — por ser o local no qual geralmente são recebidos os amigos e as visitas. É claro que cada um tem uma concepção diferente da sala dos sonhos, mas a Bauhaus Design trabalha com móveis que contemplam dos gostos mais modernos até os mais clássicos.

Confira algumas ideias que separamos para você aproveitar o frete grátis*:

1- Minimalista

Para quem gosta de espaços amplos, com cores claras e poucos objetos, a cadeira DKR Wood , de Charles Eames, é um bom complemento para a sala – adicionando ainda mais leveza e design ao ambiente.

Minha sala nova

2- Clássico

Para os clássicos de plantão, o conjunto Charles Eames confere a elegância necessária à qualquer ambiente!

Minha sala nova

3- Moderno

Gosta de cores e ambientes que exalam personalidade? A cadeira Panton pode ser o item que falta para deixar a decoração da sua sala incrível.

Minha sala nova

Confira mais peças de alta qualidade e fidelidade em nossa loja!

*Frete grátis válido somente para entregas no Sul e Sudeste.

Você sabe quem foi Charles-Édouard Jeanneret-Gris?

Você sabe quem foi Charles-Édouard Jeanneret-Gris?

Considerado a figura mais importante da arquitetura moderna, o arquiteto e designer é conhecido por seu pseudônimo

Le Corbusier
Le Corbusier (1887-1965)

Passeando por nossa loja online, é possível encontrar alguns móveis inspirados na obra de Charles-Édouard Jeanneret-Gris. Entre eles as poltronas e sofás Grand Confort, também chamados de LC2 e LC3. Mas, de onde vem o LC? Se pensou Le Corbusier, acertou!

Mais conhecido por seu pseudônimo, como apresentado acima, Le Corbusier foi um arquiteto, designer, pintor, urbanista escritor e um dos pioneiros da arquitetura moderna. Nascido na Suíça em 1887, ele se tornou cidadão francês em 1930 e espalhou grandes obras por todo o mundo.

O começo

Desde os 13 anos, Corbusier estava ligado à arte, mas foi a partir de 1917, quando se instalou em Paris, depois de ter  participado como professor de uma escola criada nos moldes da Bauhaus, projetando casas para industriais da Suíça, que começou a adotar o novo nome e concretizá-lo na história da arquitetura moderna.

Objetivos

Uma de suas principais preocupações foi a necessidade de uma nova planificação urbana nas cidades, mais adequada à vida moderna. Suas ideias foram bastante difundidas ao longo do século 20.

Le Corbusier foi autor do Plano Obus, para reurbanizar Argel, capital da Argélia, e do planejamento urbano de Chandigarh, cidade indiana construída para ser capital do Punjab. Em 1947 trabalhou em conjunto de Oscar Niemeyer na construção do prédio da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova Iorque.

Mobília

Em parceria com seu primo Pierre Jeanneret e Charlotte Periand, em 1928, Le Corbusier desenvolveu uma linha de móveis que sintetizava o estilo Internacional: os sofás e poltronas LC2. Nesta mesma época, ele também fez a criação do sofá e poltrona LC3.

A linha é chamada de “grand confort” e de “cushion baskets”, em tradução livre “cestos de almofada”, pelo fato da estrutura ser externa e segurar as almofadas do sofá. O design simplista das peças, com linhas limpas e bastante conforto, fazem com que os móveis sejam bastante utilizadas por designers de interiores em todo mundo.

A linha LC2, por ser mais estreita, é comumente aplicada em recepções e salas de espera. Já a LC3, mais robusta, é ideal para salas de estar.

Gostou? Conheça os móveis inspirados na obra de Le Corbusier na Bauhaus Design.

Fonte: ArchDaily, Clique Arquitetura, Galeria da Arquitetura, Educação UOL

Decor Sale oferece 25% off em clássicos do design

Decor Sale oferece 25% off em clássicos do design

Ação é válida para pagamentos à vista em todos os itens do site da marca curitibana Bauhaus Design

Até o dia 31 de julho a Bauhaus Design promove a tradicional Decor Sale — oferecendo 25% off em todos os produtos disponíveis no site da loja. Com mais de 40 itens para a decoração de ambientes, os móveis confeccionados pela marca são indispensáveis para quem busca estar dentro das principais tendências do design de interiores.

Segundo o empresário Odilon Bellesi, a ideia da Decor Sale é tornar possível a chance de adquirir um móvel de alta qualidade por um preço ainda mais acessível. “Os móveis da Bauhaus Design fazem parte de um trabalho focado na alta fidelidade às formas e medidas dos clássicos do design. Com a ação podemos alcançar mais pessoas, confirmando nosso zelo por um serviço de qualidade”, complementa.

Entre os produtos disponíveis na promoção, está a poltrona Barcelona — um dos grandes ícones do movimento moderno, inspirada no projeto do arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe. De R$ 2.178, o item passa a custar apenas R$1.633 em pagamentos à vista no boleto bancário. Já o conjunto Charles Eames recebe uma redução de R$1.235, saindo por R$3.707.

Inspiração

Com fábrica localizada em Curitiba (PR), a Bauhaus está há 16 anos no mercado, sendo referência na confecção de clássicos de alta qualidade. A inspiração da marca está baseada na escola alemã de mesmo nome, que fixou diretrizes estéticas com elevado refinamento de formas e linhas que são mantidas até os dias de hoje.

Como fazer uma composição de quadros na decoração

Como fazer uma composição de quadros na decoração

Quando queremos destacar um ambiente da nossa casa, uma das primeiras coisas que vem à cabeça são os quadros. Eles são essenciais, pois além de transformarem o ambiente de uma forma fácil e prática, também refletem a personalidade dos moradores. Uma coisa é certa: a diferença que uma composição de quadros faz é enorme, sejam elas de pinturas, fotografias, gravuras ou pôsteres.

Hoje você encontra uma infinidade de tipos de quadros, de todos os estilos, do mais clássico ao mais moderno. São tantas opções que fica até difícil escolher, mas a sugestão é criar um equilíbrio entre as obras, seja pelas cores, tamanho ou estilo, ou seja, tente seguir uma lógica. Na hora de definir o alinhamento, vale a mesma dica. Organize-os de maneira que faça sentido para você, pode ser alinhado com o móvel, por exemplo. Assim você garante que o ambiente fique mais harmonioso.

Mas e qual é a altura certa para pendurar os quadros? Essa dúvida é bastante comum, mas de modo geral, eles devem ficar a uma altura padrão de 1,60m (altura medida do centro da obra até o chão). Isso permite que pessoas baixas e altas tenham uma boa visualização da sua composição de quadros.

decoração com composição de quadros
Foto: Westwing

A proporção é outro fator que você precisa ficar atenta. E vale sempre o bom senso para não pecar pelo excesso de informação. Quando a parede é grande, quadros grandes combinam muito bem e vice-versa. Antes de pendurá-los na parede, experimente fazer a composição que você imaginou no chão, assim é possível ter uma ideia de como vai ficar e você não corre o risco de furar a parede no lugar errado.

Na hora de escolher a sua composição de quadros, o que importa é fugir do óbvio e apostar em contrastes. Não tenha medo de ousar, só assim a sua decoração vai transmitir mais personalidade. Gostou das dicas? Que tal colocá-las em prática?

composição-de-quadros-2
Foto: Líder Interiores
decoração com composição de quadros
Foto: Blog G4 Comunicação
Decoração com composição de quadros
Foto: Blogget de Ideias
Decoração com composição de quadros
Foto: Gazeta do Povo
Decoração com composição de quadros
Foto: Viva Decora

Fonte: Limãonagua, Westwing, Decor Fácil, Líder Interiores

 

Dicas para deixar a sua casa mais aconchegante

Dicas para deixar a sua casa mais aconchegante

Como é bom chegar em casa depois de um dia de trabalho, não é mesmo? Mas é melhor ainda se ela for um lugar aconchegante, acolhedor, onde podemos nos sentir em paz, relaxar e deixar as preocupações de lado. Para transformar o seu lar em um ambiente ainda mais agradável você não precisa de muito, basta prestar atenção nos detalhes e investir em alguns elementos de decoração. Selecionamos algumas dicas que vão te ajudar a se sentir abraçado pela sua casa.

1. Abuse das almofadas

Quando pensamos em aconchego, logo pensamos em almofadas. E não é para menos, afinal elas trazem uma sensação imediata de conforto. Elas são versáteis e indispensáveis no décor, mas cuidado para não exagerar na quantidade. Outra dica é escolher cores ou estampas que se destaquem, mas que também harmonizem com o ambiente.

decor-aconchegante-3
Foto: Gazeta do Povo

2. Não esqueça das plantas

Quem é que não gosta de ter um pedacinho da natureza dentro de casa, não é mesmo? As plantas conferem aconchego e dão um toque de vida ao ambiente. Você pode investir em espécies grandes, pequenas ou até mesmo em um jardim vertical, fica lindo. Só lembre de verificar quais cuidados cada uma delas necessita.

decor-aconchegante
Foto: Alto Astral

3. Tapetes também fazem a diferença

Os tapetes também reforçam aquela sensação boa de aconchego e conforto. A opção com pelos longos é linda, moderna e acolhe na hora. Como é gostoso colocar os pés sobre um tapete bem macio né?! Mas se você gosta de algo com mais destaque, aposte em uma opção estampada.

decor-aconchegante-2
Foto: Decor Salteado

4. Utilize objetos para decorar

Para dar ainda mais personalidade, preencha as mesinhas de centro e prateleiras com objetos de decoração. Podem ser peças de família ou compradas em viagens e até mesmo porta-retratos com fotos da família. Esses pequenos detalhes transformam a casa em um verdadeiro ninho.

decor-aconchegante-4
Foto: Alto Astral

Com apenas algumas dicas simples e fáceis você pode deixar a sua casa mais aconchegante. Que tal começar hoje mesmo algumas mudanças?

Fonte: Homify, Líder Interiores, Revista Casa e Jardim.

 

Papel de parede: dicas e inspirações

Papel de parede: dicas e inspirações

Você já deve ter percebido que a decoração com papel de parede está cada vez mais em alta. Afinal, essa é uma ótima maneira de transformar a casa de um jeito fácil e rápido. Hoje, no mercado, você encontra opções lisas, estampadas, com texturas, efeitos tridimensionais e outras novidades que tornam esse recurso ainda mais versátil. Separamos algumas dicas para te ajudar na decoração com papel de parede, confira:

Você pode incluir o papel de parede no projeto de todos os ambientes da casa, desde sala e quarto, até banheiro e cozinha. Além de dar uma cara nova aos espaços, eles também combinam e valorizam outros objetos de decoração, como, por exemplo, quadros e tapetes.

papel-de-parede
Foto: Decor Fácil

Se você deseja instalar o papel em um ambiente amplo, está liberado apostar em estampas mais dramáticas e chamativas, como o animal print. Mas para que não fique muito carregado, o ideal é aplicar em apenas uma parede. No entanto, se você prefere algo mais discreto, escolha um modelo com cores mais suaves e desenhos pouco chamativos. As listras em tons mais claros são ótimas opções e garantem charme ao ambiente.

O quarto também é um local bastante escolhido para a aplicação do papel de parede. O efeito fica lindo e dá aquela sensação deliciosa de aconchego. Nesse caso, a dica é aplicar o papel atrás da cabeceira. Isso ajuda a emoldurar a cama e além disso, como quem dorme não fica olhando diretamente, as chances de enjoar são menores.

papel-de-parede-2
Foto: Portello

Pronto pra dar uma repaginada na casa? Com certeza um papel de parede vai valorizar ainda mais os seus móveis Bauhaus. Inspire-se!

papel-de-parede-3
Foto: Lider Interiores
papel-de-parede-5
Foto: Decoração Certa
papel-de-parede-6
Foto: Decor Fácil

papel-de-parede-7

Fonte: Casa Abril, Viva Decora, Lider Interiores, Casa e Construção